Um mundo sem Chester Bennington

Para mim, quando alguém aparece na nossa vida e nos ensina o mínimo que seja, essa pessoa muda a nossa vida.

Sei que muita gente não compreende isso, que acha que é a maior bobagem que alguém já falou, mas para mim, essas pessoas ainda não perceberam que isso acontece.

E pode ser nos mais diferentes cenários. Os mais comuns são na nossa casa (pelos nossos pais ou quem quer que seja que nos criou), na escola (pelos professores e colegas), através da amizade, na faculdade, no trabalho.

Mas grande parte desses ensinamentos, que acabam sendo os melhores, maiores, e mais profundos, acontece através da arte.

Principalmente na época da nossa adolescência, acabamos nos voltando mais para nossos amigos, aqueles que estão presentes, ao nosso lado, e sabem o que passamos no dia-a-dia, e também para aqueles que sequer sabem da nossa existência, mas que se soubessem o quanto a gente se importa de verdade, iriam se surpreender.

Pode até não ser o ideal, sob o ponto de vista da nossa família, que desejam mesmo que a gente busque ajuda e conselhos deles, mas acontece que quando somos muito jovens temos vergonha, receio, medo de buscar respostas para as nossas perguntas deles… e o que acaba acontecendo é que encontramos essas respostas no formato de filmes, músicas, amigos, professores, ou seja… pessoas que não vão nos julgar e nos amam pelo que nós somos.

Muitas vezes não é o suficiente, mas é o que temos para aquele momento. Porém, podem se passar 20 anos, a gente sempre vai lembrar quem esteve com a gente quando a gente realmente precisava!

Dia 20 de julho de 2017, dia do Amigo, Chester Bennington, vocalista da banda Linkin Park, cometeu suicídio, e até agora eu me pergunto o que faltou para ele. Quais perguntas ele não obteve resposta? De quem ele sentia saudades? De quem ele precisava? De quem ele já não precisava? Porque ele não percebeu que ele não estava sozinho?

 

“When my time comes forget the wrong that I’ve done Help me leave behind some reasons to be missed Don’t resent me, and when you’re feeling empty Keep me in your memory, leave out all the rest Leave out all the rest” – Leave out all the rest / Linkin Park

Chester foi para muitos um modelo. Um homem que enfrentava seus próprios demônios. Um homem que mesmo com uma infância cruel, dava o melhor de si e entregava arte para quem quisesse ouvir. Um homem que deixou um legado lindo e que arrepia.

Depressão é o inferno na terra. E ainda tem gente que critica! Devem ser os mesmos que julgam que quem sofre de depressão deve passar o dia na cama, sem comer, sem conversar com ninguém, apenas dormindo. Mal sabem eles que quem sofre de depressão, são aquelas pessoas que mais tentam… que mais desejam mudança, que mais precisam de apoio…

Chester faleceu aos 41 anos, tinha esposa, 6 filhos, e era o vocalista de uma das maiores e melhores bandas de rock da história, mesmo com altos e baixos hehe… e sabe o que mais? Sim, ele tinha depressão! Ele sofreu tanto quanto a gente sofre…

Infelizmente, chegou o momento em que ele já não via saída… que para ele, não existir era melhor do que sofrer com uma vida sem satisfação.

Chester cometeu suicídio no dia do aniversário de Chris Cornell, vocalista da banda Soundgarden, que cometeu suicídio há 2 meses atrás. Isso chocou o vocalista do Linkin Park, visto que Chris era um de seus melhores amigos!

Em uma carta, Chester escreveu que não conseguia imaginar um mundo sem Chris Cornell. Certamente ambos contavam muito com o outro na luta pela sobrevivência.

 

Fonte: Link




“Sonhei com os Beatles esta noite.
Acordei com Rocky Raccoon [canção dos Beatles] tocando na minha cabeça e o olhar de preocupação de minha esposa. Ela me disse que meu amigo tinha morrido. Pensamentos sobre você inundaram minha cabeça e eu chorei.
Ainda choro, com tristeza, mas também com gratidão por ter compartilhado momentos tão especiais com você e sua linda família.

Você me inspirou de muitas formas que nunca soube. Seu talento era puro e incomparável.
Sua voz era prazer e dor, ira e perdão, amor e dor no coração, tudo em uma só. Suponho que isso é o que somos todos.
Você me ajudou a entender isso. Acabo de ver um vídeo seu cantando ‘A day in the life’, dos Beatles, e pensei em meu sonho.
Gostaria de pensar que você está dizendo adeus a sua maneira. Não consigo imaginar um mundo sem você.
Rezo para que encontre paz na outra vida. Mando meu amor a sua esposa e filhos, amigos e família.

Obrigado por me permitir fazer parte de sua vida. Com todo meu amor, seu amigo, Chester.”

Infelizmente, Chester não se sentiu apto a continuar.

Quando fiquei sabendo da morte dele, fiquei chocada e muito triste! Toda vez que eu ouço as músicas que ele, juntamente com a banda, criou, eu fico arrepiada. Ele tem uma das melhores vozes que eu já ouvi… e quando ele cantava dava para ver que ele dava o melhor que ele tinha!

Espero que ele encontre a paz que ele tanto precisava! E sei que onde quer que ele esteja, ele está orgulhoso, assim como eu estou, de tudo que deixou aqui…

“When my time comes forget the wrong that I’ve done…
Help me leave behind some reasons to be missed
Don’t resent me, and when you’re feeling empty
Keep me in your memory, leave out all the rest
Leave out all the rest” – Leave out all the rest / Linkin Park

“Quando minha hora chegar, esqueça os erros que cometi…
Me ajude a deixar para trás, algumas razões para ser lembrado
Não fique ressentida, e quando estiver se sentindo sozinha
Me mantenha na sua memória, deixe de fora todo o resto…”

Compartilhe!