13 Razões para ler Os Treze Porquês

13 Reasons Why
13 Reasons Why – Fonte: Link

Os Treze Porquês (13 Reasons Why) é um livro de romance escrito por Jay Asher e publicado em 2007.  Fiquei sabendo deste livro há alguns meses apenas e a sinopse despertou bastante a minha curiosidade. Logo em seguida, descobri que o livro seria adaptado pela Netflix em um seriado composto de 13 episódios e isso me deixou bastante animada, sem nem ao menos ter lido a obra.

Mês passado apenas, descobri que a série iria estrear dia 31 de março desse ano e logo sabia que iria ver todos os episódios em poucos dias…dois ou três para ser exata. Sim, ainda não terminei de ver a série haha afinal ela estreou ontem…, mas já vi 7 episódios e faltam apenas 6… já estou com saudades, mas isso é assunto para outro post.

Não sei porque, mas fiquei com muita vontade de ler o livro antes de ver a série… então baixei um PDF contendo a história, pois eu tinha poucos dias para terminar de ler o livro e não chegaria a tempo caso comprasse o livro físico.

Comecei a ler no dia 27 de fevereiro e terminei dia 30. Acho que conseguiria ter terminado no mesmo dia, mas como eu trabalho, tinha outras prioridades e o tempo de leitura ficou um pouco mais curto.

Enfim, vamos ao que interessa… não vou me estender muito em cada ponto, pois quero fazer um vídeo e depois um comparativo do livro com a série!

Mas antes, uma breve sinopse, extraída do site da Livraria Saraiva (link):

Ao voltar da escola, Clay Jensen encontra na porta de casa um misterioso pacote com seu nome. Dentro, ele descobre várias fitas cassetes. O garoto ouve as gravações e se dá conta de que elas foram feitas por Hannah Baker – uma colega de classe e antiga paquera -, que cometeu suicídio duas semanas atrás. Nas fitas, Hannah explica que existem treze motivos que a levaram à decisão de se matar. Clay é um desses motivos. Agora ele precisa ouvir tudo até o fim para descobrir como contribuiu para esse trágico acontecimento.

As Treze Razões

  1. O livro é diferente de tudo que eu já li. Não que eu tenha lido muito haha, mas achei uma história bem interessante.
  1. O formato do livro é novo… no sentido de não ser engessado… temos um novo conceito, mesmo que se aplique a apenas esta obra. Ao invés de capítulos, ele é distribuído em “lados de fitas”, referenciando as fitas cassetes que Hannah cria. Além disso, ao ler o livro, descobre-se que temos as trocas de diálogo entre Clay, o personagem principal, e sua mãe e amigos, mas também entre Clay e os áudios de Hannah.
  2. O tema do livro é controverso e pouco debatido.
    Nos meus 26 anos de vida, nunca havia lido um livro que tocasse no tema suicídio… talvez seja um tema que dê medo nos escritores, mas não imagino alguém indo à livraria e buscando um livro com esse tema por livre e espontânea vontade. Provavelmente foi folheando o livro que as pessoas o descobriram e consequentemente se interessaram… ou então por indicação de alguém! 😊
    Vale dizer que o livro não toca apenas nesse tema, mas também bullying, abuso sexual, e solidão.
  3. A leitura do livro é extremamente fácil.
    Li ele em inglês, como forma de praticar e porque acredito que para termos uma experiência mais verdadeira, precisamos ler na língua do escritor… salvo quando não temos noção do que ele está falando haha…e mesmo sendo em inglês, não senti dificuldades, pois o livro foi escrito para um público mais jovem, que talvez não possua um vocabulário muito extenso.
    No entanto, devo dizer que achei o livro curto. A versão que eu li tinha apenas 180 e poucas páginas… nesse sentido achei que o escritor pode ter pecado um pouco no desenvolvimento de alguns personagens e até mesmo da cidade onde moram.
    Muito embora eu ache difícil, Jay Asher poderia escrever uma sequência, onde a gente ficasse sabendo o que aconteceu APÓS (e durante) todos terem ouvido as fitas. De todos os treze, ficamos sabendo apenas do Clay, obviamente por ele ser o protagonista, mas seria interessante saber sobre os outros também.
    Mesmo assim, fiquei muito curiosa e não queria largar o livro até terminar. Spoiler: VALE A PENA!
  1. O livro faz um ótimo trabalho em fazer o leitor realmente pensar sobre o assunto, não no sentido de querer cometer suicídio, mas sobre todas as vezes que ele poderia ter feito mais por alguém, ou até mesmo tratado essa pessoa melhor.
  2. Faz o leitor perceber que ninguém se mata por pouca coisa, é exatamente como Hannah descreve, uma bola de neve… acontecimento atrás de acontecimentos que culmina na pessoa achar que não tem mais saída. A situação precisa ter chegado ao extremo para alguém decidir fazer isso consigo mesmo. ☹
  3. Faz você pensar sobre o que estaria deixando para trás, caso você estivesse no lugar da Hannah.
  4. Deixa claro que quem vai sofrer as consequências das suas ações, nesse caso, não é você.
  5. Vai despertar em você seu melhor detetive. Certamente você vai parar alguns momentos e tentar por si só fazer os links entre as pessoas das fitas.
  6. Temos a oportunidade de ouvir/ler os dois lados da fita… ok, ok trocadilho tosco haha… eu quis dizer os dois lados da moeda, mas você deve ter entendido! (e se não entendeu, vai entender ao ler o livro) 😊
  7. O livro vai mostrar a importância de não deixar nada para depois, de dizer tudo aquilo que precisa ser dito, de demonstrar para quem quer que seja o que você realmente sente…. porque nada é para sempre!
  8. O livro certamente serve como uma ajuda profunda, uma maneira de mostrar que ninguém está sozinho, uma forma de estender a mão e tirar quem quer que seja do fundo do poço.
  9. A série vai trazer mais elementos e trabalhar mais em cima dos acontecimentos do livro. Posso afirmar, porque pelos episódios que eu vi, isso realmente acontece! 😊

Espero que este pequeno post tenha te deixado curioso em ler o livro!

Gostaria de finalizar deixando uma mensagem:

A gente nunca sabe o que alguém realmente está passando, por mais que a gente pense que sim. Cada um tem sua vida e cabe a nós respeitá-la e dar o espaço que todos merecem…

Você tem idéia de quantas pessoas passam por você diariamente com essa ideia/pensamento/vontade na cabeça?

Ou quem sabe, você consegue imaginar quantas pessoas passaram por você pela última vez antes de se matarem?

Ou talvez, quantas vezes você já ouviu as últimas palavras da boca de alguém que se suicidou, que talvez você sequer conhecesse?

Portanto, PRESTE ATENÇÃO NO QUE ACONTECE AO SEU REDOR… está na hora de sair da bolha!

Beijo,

Ezi

 

Share
  • Paulo Faria

    Ainda não li o livro, já recomendaram-me e só leio elogios nos diversos blogs. Estou super curioso com o livro, quero lê-lo antes de ver a série, para ver as diferenças 🙂

    http://bitaitesdeummadeirense.blogspot.pt/

    • ezimonteiro

      Olá Paulo,

      Desculpe a demora em te responder. Conseguiu ler o livro? Se sim, o que achou? Se não, viu a série!?
      A série acabou sendo bastante diferente do livro, mas eu curti mais a série! 🙂

      • Paulo Faria

        Não resisti e vi a série antes de ler o livro, acabei de vê-la hoje e adorei, é um murro no estômago de qualquer pessoa, umas das melhores séries dos últimos tempos. Amanhã farei a minha review da série no meu blog 🙂 Até o final do mês, vou tentar ler o livro 🙂

        • ezimonteiro

          Aeeee… concordo ctg, é um tapa na cara essa série! Uma das melhores do gênero! Vou procurar ler teu review… ainda não fiz o meu, vai ser legal comparar as nossas opiniões!
          Acho que vai curtir o livro, mas a série mais hehe!